7 de setembro

Continuar lendo

Anúncios

We all want to be young

 

Conectividade total, saber e ser várias coisas ao mesmo tempo, relacionamentos pessoais efêmeros, pluralidade, pragmatismo… ok ok ok, parece tudo muito bom, mas será que o lado negativo de tudo isso se resume somente à ansiedade crônica?

Millennials não possuem um opinião só. Eles tem várias opiniões sobre a mesma coisa. Quando se está falando de música, arte, legal. Mas e quando se está tratando de assuntos mais sérios como… digamos… a instituição família, política e etc? Pluralidade ideológica pode ser perigoso.

Sério, me parece que estamos abrindo caminho para algo muito maior chegar ou acontecer, algo que talvez que não entendamos muito bem. E posso disser que outros ignoram ou preferem não acreditar. Parece que fazemos parte de algo mais do que só viver, se relacionar, expressar suas diferenças, “evoluir” e não nos tocamos disso!

Os que tem ouvidos ouçam!

ENTRENÓS

A coordenação de Arte e cultura do IFF Campos Campus-Centro juntamente com o grupo Nós do Teatro convidam para o Encontro de Teatro Entre Nós, que ocorrerá entre os dias 8 à 12 do mês de agosto. O evento é aberto e totalmen e será realizado no IFF Campos Campus-Centro.

Programação:

1. abertura no espaço Raul Linhares com exposição Chico ca/onta os 16 anos do Grupo Nós do Teatro às 16h;

2. apresentações das peças Feijoada Completa às 19h do dia 09/08 e Entrelaces às 20h 30 do dia 10/08, com o Grupo Nós do Teatro no Auditório Cristina Bastos. As peças foram criadas e adaptadas para o teatro sob inspiração de músicas de Chico Buarque;

3. apresentações de esquetes nos dias 09 e 10 às 19h no Auditório Cristina Bastos;

4. oficinas de teatro (corpo, voz e interpretação) ministradas por profissionais da área teatral nos dias 11 e 12 nas dependências do campus Campos Centro.

As inscrições para as oficinas serão online. Quando foram abertas divulgarei aqui.

Mais informações: Blog do Nós do Teatro / Sala 108, Bloco D / nosdoteatro@iff.edu.br / (22) 2726-2886

Herege Eclético

Herege Eclético é um blog de poemas, contos, crônicas, reflexões, devaneios e epifanias que permeiam a psique de um rapaz estudante.

Por que herege?

Segundo o dicionário Priberam da Língua Portuguesa (http://priberam.pt/dlpo) herege é o que ou pessoa que segue uma heresia. E heresia é a divergência em ponto de fé ou de doutrina religiosa. Mas esse significado foi forçadamente atribuído a essa palavra pela instituição “mui sábia, justa e sagrada” Igreja Católica Apostólica Romana, na Europa Medieval.

Depois do fim das invasões estrangeiras, a atividade intelectual cresceu, ocorreu o Renascimento, e a Reforma Medieval, e os hereges passam a ser leigos, clérigos renegados, críticos e anticlericais com desejo de atingir pelos próprios meios uma vida espiritual sem mediação do Clero.

Obviamente tudo isso enfraquecia toda a dominação da Igreja, por isso a alteração de significados. Herege vem do latim haeresis, que por sua vez vem do grego hairesis, que significa CAPACIDADE DE ESCOLHER.

Eu amo a capacidade e liberdade que tenho para escolher. Amo a capacidade e liberdade de escolha com as quais Deus presenteou a humanidade, tornando todo indivíduo capaz e livre para escolher aquilo que lhe agrada, mesmo que o que for escolhido seja terminantemente contrário aos desígnios dEle. Amo a liberdade de escolher ir ou vir, liberdade de expressão e manifestação religiosa (embora esta última já começa a ser ameaçada) que segundo a constituição me é permitida. Amo a liberdade que tenho para escolher usar a minha língua nativa para me expressar, e ser compreendido pelos meus conterrâneos, não importando se a norma é formal ou informal.

Amo poder misturar diferentes elementos, tendências, estilos, filosofias e criar, fantasiar de maneira bem eclética, porém equilibrada, e expor os resultados da maneira que me aprouver.

heregeecletico.blogspot.com

“[…]Quando o sol brilhar, nós brilharemos juntos
Jurei que estaria aqui para sempre
Disse que sempre serei seu amigo
Fiz uma promessa vou manter isso até o fim
Agora que está chovendo mais do que nunca
Sei que ainda temos um ao outro
Você pode ficar debaixo do meu guarda-chuva[…]”            “Umbrella” – Rihanna

“Eu, eu sou uma estrada de mão única
Sou uma estrada que leva pra longe
E segue você de volta pra casa
Eu, eu sou um poste aceso
Sou uma luz branca ofuscante
Piscando sem parar
Em tempos assim, você aprende a amar de novo
Tempos assim vivem se repetindo[…]”              “Times Like These” – Foo Fighters

“[…]Eu abrirei minhas asas
E aprenderei a voar
Eu farei o que for necessário
Até tocar o céu
E farei um pedido, arriscarei, mudarei
e escaparei

Fora da escuridão
E dentro do sol
Mas eu não esquecerei as pessoas que amo
Correrei o risco, arriscarei, mudarei
e escaparei

Quero sentir a brisa quente
Dormir embaixo de uma palmeira
Sentir o agito do oceano
Subir num trem rápido
Viajar num jato
Para longe e escapar[…]”                                                “Breakaway” – Kelly Clarkscon

Não me perguntam sobre o altar

As pessoas se perguntam perto de mim:

O fim é certo assim como respiramos o ar?

 

E a certeza se ergue rápida dentro de mim

Imponente como um altar

 

Por enquanto fingir que não, ainda dá sim

Mesmo que depois não vá mais adiantar

 

Não será encontrado alívio ao fugir

Faço questão de isto ressaltar

 

Quando do alto o Leão rugir

A muitos, o ar vai faltar

 

Realizarão reuniões para buscar compreender

E tudo por causa  daqueles que Ele vai mandar buscar

 

Eles vão cair em grande sofrer

Pois foram prevenidos para que parassem de pecar

 

Desejo eu estar atento

Para ouvir o grande anúncio

 

Desejo eu ouvir ser anunciado

Aquele que desabilitou o altar!

 

Francisco Alves (@fazcoms)