Casey Heynes

O vídeo do ocorrido:

Assim como a maioria, eu apoio a reação do garoto Casey Heynes. Penso sinceramente (e como cristão) que a grande maioria daqueles que praticam bullying deveriam enfrentar o mesmo tipo de reação. Ora, no Antigo Testamento, encontramos o relato do caso em que o profeta Eliseu (2 Reis 2:23) foi “zuado” por uma cambada de jovens que não tinham o que fazer. O resultado foi que eles foram amaldiçoados pelo profeta, e no ato duas ursas saíram do bosque e despedaçaram quarenta e dois daqueles jovens.

Alguém pode dizer “Uh… que coisa terrível!” Mas… é menos terrível um ser humano se achar no direito de ofender, humilhar e até agredir fisicamente o seu próximo? No caso Casey, os colegas de turma dele tiveram sorte de ele não guardar por mais tempo todas aquelas agressões, e depois de alguns anos voltar armado e assinar todo mundo!

Eu gostaria muito de estar lá para ver a cara daquele sujeitinho depois dele ser atirado no chão como um “pedaço de qualquer coisa”.

Não me perguntam sobre o altar

As pessoas se perguntam perto de mim:

O fim é certo assim como respiramos o ar?

 

E a certeza se ergue rápida dentro de mim

Imponente como um altar

 

Por enquanto fingir que não, ainda dá sim

Mesmo que depois não vá mais adiantar

 

Não será encontrado alívio ao fugir

Faço questão de isto ressaltar

 

Quando do alto o Leão rugir

A muitos, o ar vai faltar

 

Realizarão reuniões para buscar compreender

E tudo por causa  daqueles que Ele vai mandar buscar

 

Eles vão cair em grande sofrer

Pois foram prevenidos para que parassem de pecar

 

Desejo eu estar atento

Para ouvir o grande anúncio

 

Desejo eu ouvir ser anunciado

Aquele que desabilitou o altar!

 

Francisco Alves (@fazcoms)